Podia ser um conto de Natal

Hoje em dia duvida -se de quase tudo e todos , não é?
Tínhamos acabado mais uma ronda quando surgem dois Jovens . Não falavam Português e não conheciam a cidade.
O casal de voluntários fizeram as honras da ” cidade” .
Os jovens ainda comerem alguma coisa mas mais que o comer precisavam de mais ajuda e queriam muito uma única coisa : trabalho.
Por entre outros detalhes que por segurança não podemos partilhar , o nosso casal de voluntários têm movido montanhas e planeado uma integração que se pretende rápida mas consciente.
Os jovens continuam a querer trabalhar e não têm faltado aos planos que os nossos corações lhes apresentam.
Neste momento já estão a ter aulas de Português.
Numa primeira fase foram acompanhados até onde frequentam as aulas, as senhas foram carregadas e todos os dias há a preocupação ” como correu o dia? ” .
Pode vir a ser um conto de natal ou não? Por nós e pelo casal idóneo que os acompanha , pode e vai ser.
As aulas continuam, outros documentos estão tratados mas falta um quarto porque onde vivem não se pode chamar casa nem abrigo.
A resilência do casal nosso voluntário é de um querer destemido , ” onde estão não há segurança, nem é casa nem abrigo” .
Sem temerem pedir ajuda porque quem fala verdade não receia nem tem medo de o fazer, têm batido a muitas portas mas infelizmente alojamento não há. Procuram um quarto , partilham o apelo urgente , deslocam-se com os 2 jovens a vários serviços sociais mas as respostas não surgem .
O que surge é desconfiança só porque um casal voluntário não desistiu de duas vidas que apareceram no final de uma ronda.
Vivemos num tempo estranho em que se desconfia de quase tudo e todos e no meio deste tempo esquisito haverá alguém com sensibilidade e bom senso para perceber que os casos não são todos iguais? E sim , há quem queira trabalhar e mudar de vida.
Para este casal que tem feito um acompanhamento de proximidade será um conto de natal porque não vão desistir , não vão não mesmo que alguém ache estranho o tempo que estão a dedicar a duas vidas que surgiram do nada e no final de uma ronda!
#NósAcreditamos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *